Maria Fernanda Miranda

Inicia dança aos 15 anos com Luciana Caetano no antigo Galpão da UFG. Em 1996 passa a integrar o Grupo Solo de Dança, onde permanece até 2001. Em 2002 integra o projeto Sons do Cerrado, idealizado e coordenado pelo antropólogo e arqueólogo Altair Sales Barbosa. Graduação e mestrado em Dança pela UNICAMP. Em 2015 ganha o Prêmio Klauss Vianna com o projeto de videodança “Mulheres de Linhas”. Em 2016 integra o coletivo Ecos do Caminho do Sertão, realizando atividades de dança, música e bordados nas comunidades mineiras de Sagarana, Chapada Gaúcha e Ribeirão de Areia.. Atua como bailarina, pesquisadora e ativista socioambiental.

Espetáculos relacionados